sexta-feira, 21 de maio de 2010

É mês de maio...


Imagem by Edson Hardt


Não sei porque é sempre em maio que a minha vida vira de cabeça para baixo, ou pensando bem, não só em maio, porque na grande maioria do ano, tenho a estranha sensação que as pessoas estão de cabeça para baixo (rsrs).

Mas voltando ao mês de maio, mês das noivas, mês de não sei lá o que, mas o mais importante, mês do meu níver. Não sei se, por ouvir desde sempre que, "durante os 30 dias anteriores à data de aniversário a gente vive um inferno astral", em maio eu entro no meu inferno com tudo, de cabeça e em maio mesmo eu saio, inclusive dos "infernos" entrados em outros tempos.

O fato é que, em maio me transformo em uma fênix e alço vôos ao infinito. Derrubo muros de dificuldades, quebro paredes de opressão, levanto, sacudo a poeira e que sigam-me os bons porque os quarta-feiras, os meia boca que se danem, não tenho mais saco pra nada que eu olhe, escute ou veja e que me deixe com a sensação de "Ah! Tá, mas e daí?"

A cada dia que passo fico mais exigente com tudo aquilo que me rodeia, ou melhor, com o que permito me rodear. Alguns podem estar pensando "que babaca". OK! Respeito, é assim mesmo que tem que ser, ter opinião, expressá-las. É disso mesmo que tô falando, de ter opinião, de querer ter opinião e de agir de acordo com as suas opiniões. Ser o que é, o que quer, o que pode ser, ter, viver, sentir, desejar, amar, ser feliz.

Acredito que devo ter ficado menos babaca aos olhos do mundo, então vamos ao que interessa ou ao assunto que me levou a escrever este texto, o mês de maio e o porquê de sempre grandes mudanças acontecem na minha vida neste mês. Ah! Nem sei, acho que desisti de tentar entender. Como dizia Clarice: “Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras."

E se você não entendeu nada, fique tranquilo, nem eu. Mas como diz o "velho deitado", para bom entendedores, um risco pode ser Francisco.


MÊS DE MAIO - Almir Sater



video

Um comentário:

  1. Você já se define uma "Fênix" ("em eterna construção, um lego? Não nego!!!") e isso é próprio de mulheres muito especiais, daquelas que não carregam apenas a beleza de uma face encantadora, feito a sua, mas que alimentam sonhos, utopias, crenças... que brigam pelo que creem... Que alçam vôos inimagináveis em busca de suas convicções, suas verdades mais intensas.
    Perdoe-me, por tamanha invasão, mas vejo essa mulher no que escreve... E sei que o que escreve, é a mulher que vejo.
    O seu "maio" é transitório, mesmo porque, a mulher, nele nascida, não se intimida jamais.

    ResponderExcluir